Projeto Esporte e Inclusão já faz diferença na vida das pessoas

O projeto Esporte e Inclusão que iniciou suas atividades em abril, segue em plena atividade na Faculdade de Educação Física de Santos (Fefis) da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes). Com o objetivo de promover a socialização e a melhora da qualidade de vida das pessoas com síndrome Down e Autismo, o projeto Esporte e Inclusão, tem capacidade para atender 80 pessoas.

Os alunos tem aulas de futebol 7, tênis de mesa, teatro e artes. Todos têm acompanhamento constante da equipe multidisciplinar, composta por assistente social, psicólogo, professores de educação física e da área cultural. São oito turmas com até 10 alunos, sendo quatro nas segundas e quartas e mais quatro nas terças e quintas, sempre das 13h às 18h.

Danielle Amorim é a psicóloga, e explica o que está sendo feito. “O início do Projeto foi de adaptação dos alunos, entre eles, com os professores, ao espaço e a familiarização com ambiente. Já percebemos resultados na rotina e interação no grupo e alguns se conhecendo, o que é importante. Trabalhamos habilidades sociais e comportamento, desde a entrada na Universidade. A participação nas atividades de culturais e esportivas sempre favorece a melhora. Estimulamos a fazerem escolhas, é algo que parece simples, mas de muita importância.

Momento Especial

Mesmo com pouco tempo o Projeto já proporcionou uma grande emoção para a turma do futebol. Em uma parceria com o Projeto UP e o Santos Futebol Clube, o time fez uma partida amistosa com o Ituano Futebol Clube, na abertura da tradicional Copa TV Tribuna de Fusal Escolar. O jogo que terminou empatado em 5 a 5, foi no ginásio do Sesc Santos, com arquibancadas lotadas. O público vibrou e incentivou durante todo o jogo.

Renato Gregório, 24 anos, defende o Ituano e a seleção brasileira, é o melhor jogador de futsal Down do mundo. Além de mostrar todo seu talento, fez questão de também jogar parte jogo pelo time santista. “Acho muito gostoso o reconhecimento das pessoas comigo, as pessoas vêm tirar foto e pedir autógrafo. Hoje sou uma pessoa muito feliz”.

Silvia Queiroz, coordenadora do projeto Esporte e Inclusão, falou sobre a partida. “Para nós o primordial do Projeto é proporcionar uma melhor qualidade de vida. São pessoas com deficiência, alguns não são mais jovens, a idade inicial é de 10 anos, mas temos alunos até com 50 participando. Jogar com outras pessoas vem complementar o que já fazem no dia a dia. A parceria com a Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) tem sido fundamental ”.

Vagas

Ainda existem algumas vagas para no Projeto, os responsáveis interessados podem obter mais informações e realizar o pré-cadastro pelo telefone 3323-3530. Para participar a idade mínima é de 10 anos para pessoas de ambos os sexos, é feita uma avaliação por médico cardiologista, sendo realizados exames laboratoriais que evitem a exposição a qualquer tipo de riscos.

O projeto Esporte e Inclusão é uma realização da Associação Nacional de Desenvolvimento Esporte e Educação – ANDEE, com patrocínio da Usiminas, CPFL Energia, Bic e Liberty Seguros através do Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência PRONAS/PCD do Ministério da Saúde e apoio da FEFIS/UNIMES e Prefeitura de Santos, através das Secretarias de Saúde e Educação.

 

Translate »