Medalhistas olímpicos, jogadores de grandes clubes e atletas amadores na mesma competição

O segundo dia de jogos do 18º Master Santos de Vôlei, nesta sexta (22), seguiu conforme o esperado, jogos com alto nível técnico e com muita disputa a cada ponto. Mais uma vez o público marcou presença nas arquibancadas do ginásio. Nas quadras medalhistas olímpicos, jogadores com passagens por grandes clubes brasileiros e do exterior. Porém, também presentes, aqueles que sempre jogaram e nunca se profissionalizaram, mas em comum, a paixão pelo vôlei.

Pela manhã bons exemplos no Clube Internacional de Regatas. Defendendo o TB Volleyball, Badalhoca, medalhista de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles em 1984, e que também defendeu a seleção brasileira no Jogos de Moscou, em 1980. Sua equipe enfrentou o CA Paulistano e foi derrota por 2 sets a 0.

Com 15 participações na competição, Badá enalteceu o evento e a cidade de Santos. “Estive em quadra aqui enfrentando aquela grande geração do vôlei santista com aquele time do Santos FC, mas também participei de muitas competições naquele que seria o início do vôlei praia no Brasil. Aqui encontramos amigos de vários lugares e o mais importante, estamos cuidando da nossa saúde, é fundamental após um atleta encerrar a carreira continuar na atividade física”.

Já Núbia Coelho, 40 anos, veio de longe, joga pelas Poderosas Fitness, equipe de Palmas, capital de Tocantins. “Valeu a pena mesmo com a distância, primeira vez que jogo aqui. Gostei demais, organização, quadra de excelência e ótima arbitragem. Esse conjunto com tantas equipes é muito bom, conheci pessoas, aumentei as amizades. Sempre joguei competições regionais e estaduais, mas nunca fui profissional, jogar com essas atletas é uma experiência maravilhosa.

Mudando de lado

Quem acompanha o vôlei esteve acostumado a ver nas quadras as atuações de Jardel, meia e oposto, que fez parte das seleções de base do Brasil e chegou na principal. Só que neste Campeonato os seus gritos não são para pedir a bola, mas sim para comandar a equipe feminina 40+ do De Mirim a Master, do Rio de Janeiro. Assim como nos tempos de jogador não faltou vibração e cobrança, e no final a vitória veio por 2 sets a 0, sobre o forte time do Minas Tenis Clube.

Jardel fala sobre essa “nova posição” na quadra. “Encaro da mesma forma como quando jogava, essa competição é muito forte, como costumo dizer, o sarrafo tá alto aqui em Santos. São poucas vagas e muito disputadas, temos a nata do voleibol master no Brasil. Tem que vir com a cabeça o mais próximo possível do alto rendimento, sabemos que todas já tem outro tipo de vida, mas quando entra em quadra tem que ter isso. Nessa categoria faz pouco tempo que pararam, por isso jogos parecidos com o que se vê na TV”.

Campeonato

A competição conta com a participação de 1.800 atletas, representando 112 equipes de 15 estados, sendo as disputas em 14 categorias, no masculino (35+, 40+, 45+, 50+, 55+, 60+ e 65+) e no feminino (30+, 35+, 40+, 45+, 50+, 55+ e 60+), com um total de 218 jogos. Estão representados os estados da Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Os jogos são realizados em seis quadras, sendo três no Clube Internacional de Regatas, além das do Clube de Regatas Vasco da Gama, Tenis Clube de Santos e Associação Atlética Banco do Brasil. As partidas começam às 8h30 e seguem até às 22h.Todos os resultados e tabela da competição podem ser acompanhados pelo link http://www.nobreaplicativos.com.br/masterSantos/

O 18º Master Santos de Vôlei segue até domingo (24) sendo realizado e organizado pela Associação Nacional de Esportes (ANE), com patrocínio por meio do Programa Municipal de Incentivo Fiscal e Apoio ao Esporte (Promifae) da COFCO International S.A e Grupo Mendes.

Translate »